Guilherme Wisnik

“Precisamos fazer com que o Brasil moderno volte”

Wisnik aproveita o leilão do Palácio Capanema para fazer uma reflexão sobre a existência de dois países num só: o Brasil moderno, que ainda existe, mas que convive com um outro, que se mostra medíocre, tacanho e mesquinho

“Precisamos fazer com que o Brasil moderno volte”

Wisnik aproveita o leilão do Palácio Capanema para fazer uma reflexão sobre a existência de dois países num só: o Brasil moderno, que ainda existe, mas que convive com um outro, que se mostra medíocre, tacanho e mesquinho