As lições de 1968, importantes até hoje

Na série especial publicada – com artigos, textos e vídeos – desde finais de setembro, o “Jornal da USP” fez um balanço do meio século do ano que não terminou e precisa ser lembrado

  • 516
  •  
  •  
  •  
  •  


cc

.

“Excelente trabalho vocês fizeram. Acho que conseguiram abordar o período do lado dos conflitos políticos essenciais, mas vividos por seres humanos reais e seus dilemas, conflitos, desafios. Também tem fortes pitadas de emoção, afeto. Belo trabalho!”

Mensagem enviada a mim por Roberto Domenico Lajolo, engenheiro politécnico, entrevistado neste Especial sobre 1968

 

“Ainda estou sob emoção. Gostei muito, pois com seu ótimo texto foi possível deixar registrada parte da história que presenciei e, em alguns momentos, fui duramente atingido, como muitos em Ribeirão Preto. Saiba que sempre tive dificuldades para falar sobre essa história. Poder contribuir para que fique gravado e divulgado me propiciou grandes emoções.”

Mensagem enviada a Rosemeire Talamone, da Rádio USP de Ribeirão Preto, pelo professor aposentado da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP Marco Antonio Barbieri, preso e torturado em novembro de 1969

 

Bastariam essas duas mensagens para mostrar a relevância do Especial sobre 1968 que o Jornal da USP publica desde o início de outubro passado.

Se me permitem falar de mim, reproduzo palavras que proferi na abertura dos eventos de memória da Batalha da Maria Antonia, no Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP, promovidos pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, no começo de outubro, a respeito da decretação do AI-5, em 13 de dezembro de 1968:

“Fomos expulsos do Crusp, em 17 de dezembro de 1968, quatro dias depois do AI-5. A USP sofreu. Professores foram aposentados, acusados por seus pares conservadores. Alunos foram afastados pelo famigerado 477, muitos optaram pela militância política clandestina. Nos anos 70, os horizontes foram ficando a cada dia mais estreitos… Há importantes lições em 1968, úteis para hoje. O fundamental é que as arbitrariedades, as perseguições, a censura, a tortura e as mortes nunca mais se repitam.”

“As novas gerações precisam saber disso”, disse o reitor da USP, Vahan Agopyan, durante o lançamento da terceira edição de O Controle Ideológico na USP (1964-1978). O livro expõe as delações, perseguições e prisões de professores, estudantes e funcionários da USP ocorridas entre 1964 e 1978, durante a ditadura militar. A FFLCH também relançou os livros Maria Antonia, uma Rua na Contramão e Livro Branco Sobre os Acontecimentos da Rua Maria Antonia – 2 e 3 de outubro de 1968 – todos inicialmente publicados na cinzenta década de 1970.

Esperamos que as 50 matérias, entre textos, áudios e vídeos, publicadas por este Especial sobre experiências pessoais, políticas, acadêmicas, livros e filmes a respeito de 1968, ajudem as gerações mais novas a conhecer melhor os acontecimentos de 1968 na USP, no Brasil e no mundo. Não somente elas, mas todos que têm responsabilidades no desenvolvimento e no fortalecimento da democracia no País.

À luz de sua história e diante desses desafios, a USP, com liberdade e autonomia, continuará sendo celeiro de mestres, profissionais, ideias e projetos para construir, no Brasil, uma sociedade democrática, dinâmica, justa, que deixe para trás os desequilíbrios sociais que tanto marcam a história do País.

Como sempre foi, apesar de todos os percalços que encontrou pelo caminho – e superou.

Luiz Roberto Serrano

Superintendente de Comunicação Social da USP

cc

.

Leia mais

.

19/dezembro/2018

As lições de 1968, importantes até hoje

17/dezembro/2018

Uma desnecessária operação de guerra

13/dezembro/2018

Como a Escola de Comunicações e Artes da USP resistiu à ditadura

12/dezembro/2018

O Ato Institucional nº 5 e seu significado histórico

12/dezembro/2018

Um ato – e a democracia brasileira entrou em sua noite mais longa

11/dezembro/2018

“As novas gerações precisam saber disso”

10/dezembro/2018

Exposição reverbera violência de 1968 nas manifestações de 2013

7/dezembro/2018

Obladi, oblada life goes on brahhh… Lala how the life goes on

7/dezembro/2018

Professor da USP conta suas memórias da época do AI-5

30/novembro/2018

Maria Antonia – muito além de uma rua

28/novembro/2018

Daisy, Dais, Dai…

26/novembro/2018

O 68 francês e o cinema

22/novembro/2018

Guilherme Wisnik analisa 1968 sob o ponto de vista da cidade

21/novembro/2018

Contestação presente em 1968 também se manifesta na postura dos cientistas

21/novembro/2018

Há 50 anos, País vivia ao mesmo tempo o milagre brasileiro e o AI-5

21/novembro/2018

1968 e a afirmação dos direitos humanos

21/novembro/2018

Renato Janine fala sobre o que 1968 representou na vida dele

20/novembro/2018

Estudantes de 68 retomaram os temas da liberdade, igualdade e fraternidade

19/novembro/2018

Arte e política para lembrar 1968

13/novembro/2018

Rascunho de palestra em um Clube de Leitura

12/novembro/2018

O cinema militante de maio de 68

9/novembro/2018

Entre a luta, os livros e os cacos de sonho

9/novembro/2018

Maio ou maios de 68

8/novembro/2018

E a aldeia global assistia TV via satélite…

7/novembro/2018

A nação e a Universidade ameaçadas

6/novembro/2018

Combate ao racismo em 1968: 50 antes e 50 depois

2/novembro/2018

O significado histórico da Primavera de Praga

1/novembro/2018

1968 no mundo, além da lenda

31/outubro/2018

1968, 2018 e além: livros pela democracia

30/outubro/2018

Impasses no teatro brasileiro em 1968

29/outubro/2018

Quebrando o moralismo embolorado

26/outubro/2018

Cinquentenário de 1968 é tema de mostra no Cinema da USP

26/outubro/2018

Woodstock: o maior encontro de uma geração revoltada e festiva

25/outubro/2018

A cena musical brasileira de 1968

24/outubro/2018

A arte pop brasileira – “… que gostava de política em 1968”

23/outubro/2018

67/68: Tropicalismo, participação e transgressão

22/outubro/2018

O maio de 1968 – a luta dos direitos civis nos Estados Unidos

19/outubro/2018

A brecha que se abriu em 1968

18/outubro/2018

Angústias, insegurança e resistência nas salas de aula da USP

16/outubro/2018

O protesto que marca a memória dos Jogos Olímpicos do México

15/outubro/2018

Há 50 anos, a universidade no olho do furacão

11/outubro/2018

1968, nas entrelinhas do silêncio

10/outubro/2018

1968, 69, 70, 71, 72………..83

9/outubro/2018

“Meu tema é o da responsabilidade moral e intelectual da Universidade”

4/outubro/2018

Professores revivem legado da Maria Antonia

3/outubro/2018

Filme denuncia o esquecimento e impunidade do caso Herzog

3/outubro/2018

Ode à democracia marca abertura de “Ecos de 1968 – 50 Anos Depois”

3/outubro/2018

Ecos de 1968 – 50 anos depois

2/outubro/2018

Filmes lembram as marcas da ditadura no Brasil de hoje

1/outubro/2018

Livros e leitura cênica lembram a Batalha da Maria Antonia

1/outubro/2018

“A USP foi um locus de resistência e de luta contra os desmandos”

1/outubro/2018

Batalha da Maria Antonia é relembrada em ciclo de eventos

28/setembro/2018

Com a rua como cenário e os jovens como protagonistas, 1968 faz história

21/setembro/2018

Para refletir sobre os ecos e as lições de 1968

18/julho/2018

“USP Especiais” destaca fatos e músicas que marcaram 1968

29/Maio/2018

Seminário traz à discussão o mítico ano de 1968

20/Abril/2018

A herança que 1968 nos deixou, 50 anos depois


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 516
  •  
  •  
  •  
  •