Os 50 anos do AI-5 e os decretos que levaram ao “milagre econômico”

José Eli da Veiga analisa o AI-5 e o crescimento econômico do Brasil após o ato em 1968

O Ato Institucional Número Cinco ( AI-5)  completou 50 anos no último dia 13. Naquele dezembro de 1968, entre os dias 19 e 31, houve um pacote de quase 40 decretos-leis, todos sobre economia, que levaram ao chamado “milagre econômico” nos cinco anos posteriores. “Embora seja discutível que houve, de fato, um milagre”, questiona o professor José Eli da Veiga.

Em tempos de normalidade democrática, a aprovação dos decretos demandaria muita negociação com o Congresso. Segundo o colunista, tudo foi feito com base na ideia de que o crescimento econômico pode ser facilitado na supressão da liberdade da democracia. “O professor Delfim Netto vem repetindo isso nos últimos 50 anos”, afirma Eli da Veiga.

O colunista lembra que a China seguiu essa orientação de suprimir a democracia. “Se compararmos com o Brasil, aquele país oriental disputa hoje com os EUA as principais questões geoeconômicas, como a inteligência artificial, semicondutores e robótica. Ao contrário, o Brasil consegue, no máximo, ser um exportador de produtos primários.” Fica então a questão: por que aquele grupo de militares e civis, como Delfim Netto, apesar de tantos poderes, não conseguiu fazer as opções estratégicas corretas? “As opções foram errôneas”, considera o colunista.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Sustentáculos.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 1
  •  
  •  
  •  
  •