Violências no ambiente de trabalho são as mesmas encontrados na sociedade

Essas violências do cotidiano podem acontecer pela questão de hierarquia no trabalho e até mesmo por pessoas com o mesmo nível de poder

 05/11/2019 - Publicado há 2 anos  Atualizado: 06/01/2020 as 11:57

“A forma com que nos relacionamos em sociedade pode afetar nosso ambiente de trabalho”, essa foi a observação feita por Maria Paula Panuncio, professora do curso de Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP que falou sobre os relacionamentos interpessoais no trabalho, especialmente nas Universidades. 

Os tipos de violência que acontecem diariamente no ambiente profissional são os mesmos encontrados na sociedade. A professora cita exemplos das violências mais comuns, que podem acontecer pela questão de hierarquia no trabalho, e até mesmo por pessoas com o mesmo nível de poder, que que são: assédio moral e sexual, violência de gênero, racismo e classismo. 

Maria Paula fala ainda sobre bullying e algumas violências do cotidiano que podem passar despercebidas por serem consideradas normais, como algumas “brincadeiras” que envolvem características pessoais das outras pessoas. “Isso é uma coisa tão repetida que fica naturalizada e faz parte do cotidiano como algo normal. A gente nem se dá conta de que é uma forma de violência que pode minar as relações”, afirma a professora.  

Segundo a professora, é importante que se tenha espaço no ambiente de trabalho para que as pessoas possam se expressar e corrigir suas ações e lembra que existem estratégias de comunicação não violenta, justiça restaurativa e estudos produzidos em psicologia e outras áreas do conhecimento que dão ferramentas para melhorar as relações. “Precisamos começar a prestar atenção em como a gente se comunica”, alerta. 

O tema falado na entrevista faz parte do curso de extensão “Práticas de desenvolvimento profissional” oferecido pela Faculdade com o objetivo de investir na formação pessoal e profissional. 

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.