Informática Biomédica investe em inovação curricular e empreendedorismo

Projeto pedagógico do curso, recém-reformulado, favorece internacionalização e formação de líderes

  • 441
  •  
  •  
  •  
  •  
Impressora 3D do Laboratório de Bioengenharia da FMRP, um dos locais onde os alunos da Informática Biomédica podem realizar seus projetos – Foto: Reginaldo Trevilato da Silva

Quem for prestar o vestibular da Fuvest neste ano encontrará novidades nas opções oferecidas pelo campus da USP em Ribeirão Preto. Além do novo bacharelado em Ciência da Computação, os candidatos poderão optar pelo remodelado curso de Informática Biomédica.

Fruto da reestruturação do bacharelado que desde 2003 era ministrado conjuntamente pelas Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) e de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), o curso agora administrado apenas pela FMRP apresenta aos futuros alunos um projeto pedagógico inovador, a começar pelo currículo aberto à internacionalização, com metade do curso composto apenas com disciplinas optativas.

O coordenador do curso, professor Wilson Araújo da Silva Junior, do Departamento de Genética da FMRP, explica que o objetivo é formar líderes em atenção à saúde. E essa “mão de obra altamente qualificada” será treinada, principalmente nos dois últimos anos do curso, para encontrar soluções em quatro áreas: bioengenharia, imagens médicas, informação em saúde (e-saúde) e medicina genômica.

O perfil desse “profissional do futuro deverá ser reforçado pelo desenvolvimento de disciplinas obrigatórias em período integral e transdisciplinar (unindo exatas com biologia), durante os dois primeiros anos, e optativas, nos dois últimos. O professor Silva Junior explica que as disciplinas optativas serão escolhidas pelos alunos e seus respectivos professores-orientadores para contemplar o projeto que desenvolverão juntos.

Como são todas optativas, as disciplinas dos anos finais poderão ser feitas em Ribeirão Preto ou em São Carlos, São Paulo ou fora do País. O coordenador do curso acredita ser esse um diferencial que deverá estimular os alunos a criar mais e buscar novos conhecimentos, além de também atrair estudantes de outras universidades e países.

A formação desses líderes terá ênfase no empreendedorismo, “caráter que o curso já possui com as várias empresas criadas por ex-alunos de Informática Biomédica”, lembra o professor. O incremento ao espírito empreendedor será dado, entre outros, pela parceria que os responsáveis pelo curso já fecharam com o Supera Parque de Tecnologia e Inovação de Ribeirão Preto, onde os alunos estudarão e transformarão suas ideias em produtos.

Além do Supera, os futuros informatas biomédicos trabalharão na solução de problemas de saúde nas unidades do chamado Complexo Acadêmico de Saúde, que tem o Hospital das Clínicas (HCRP) e o Hemocentro de Ribeirão Preto entre suas principais instituições. “Toda a infraestrutura para que os alunos trabalhem suas habilidades estarão disponíveis nas quatro áreas: imagens médicas (Centro de Imagens do HCRP); e-saúde (Centro de Informações em Saúde do Departamento de Medicina Social da FMRP); bioengenharia (Setor de Bioengenharia do Departamento de Biomecânica, Medicina e Reabilitação do Aparelho Locomotor da FMRP) e genômica (Centro de Medicina Genômica)”, adianta o coordenador.

As inscrições para o vestibular da Fuvest 2019 começam no dia 13 de agosto e trazem as vagas para os novos bacharelados da USP em Ribeirão Preto. Informática Biomédica e Ciência da Computação – primeiro curso oferecido por uma universidade pública na região de Ribeirão Preto – são desenvolvidos em quatro anos de período integral, com 20 vagas. 

 

  • 441
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados