Idosos ganham canal no YouTube que combate fake news

Projeto Minuto sem Boato traz vídeos de aproximadamente um minuto sobre temas como “A vida de um idoso vale mais do que a de um jovem?” e “O que pode garantir a vida nesta pandemia?”

Projeto Minuto sem Boato auxilia idosos a identificarem fake news – Foto: 123RF


.
O combate às fake news sobre o novo coronavírus ganha um importante aliado. Um canal no YouTube voltado para idosos foi criado por um grupo de alunos e professores do curso de Pedagogia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP.

O projeto Minuto sem Boato é coordenado pelas professoras Elaine Sampaio Araújo e Soraya Maria Romano Pacífico, do Departamento de Educação, Informação e Comunicação (Dedic) da FFCLRP.

A professora Elaine conta que o canal traz textos científicos produzidos por jovens em linguagem acessível para idosos, pois acredita que, com a pandemia, o grupo 50+ é o mais atingido pela crescente divulgação de fake news. “Preocupa-nos os idosos como o público que é mais atingido, não apenas pelo coronavírus como por esses dispositivos de contrainformação que são igualmente contaminantes.” 

No Minuto sem Boato, os professores e alunos debatem questões como A vida de um idoso vale mais do que a de um jovem? e O que pode garantir a vida nesta pandemia?. A professora Soraya conta que o objetivo é trazer textos de aproximadamente um minuto que promovam a discussão entre os jovens e idosos sobre a ciência no combate ao boato. “Em momentos como este, imaginamos que um minuto é essencial para distanciamento e checagem de quais dessas informações são corretas e, principalmente, científicas.” 

Os conteúdos do projeto estão disponíveis no canal Minuto sem Boato no YouTube

Ouça no player abaixo a entrevista com a professora Elaine na íntegra. 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.