Sem renúncia, crise política se agravará até o final do ano

Saídas como impeachment, cassação no TSE e PEC para eleições diretas terão aprovação demorada

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Para o doutor em Ciência Política pela USP e professor da Fundação Escola de Sociologia e Política, Jairo Pimentel, o governo Michel Temer ficará insustentável se PSDB e DEM deixarem de apoiar o presidente. Dessa forma, a saída mais rápida para a crise é a renúncia. O professor explica que as outras opções de derrubada do presidente tem processo demorado e só teriam um desfecho no final do ano.

Além disso, o cientista político levanta dúvidas quanto ao procedimento do poder Judiciário no que se refere à investigação e à obtenção de provas no combate à corrupção.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados