As implicações da ética, da política e do direito no caso Temer

O colunista Renato Janine Ribeiro analisa a crise política envolvendo o presidente Michel Temer sob esses três aspectos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Ao comentar sobre a crise política que afeta diretamente o presidente Michel Temer, o colunista Renato Janine Ribeiro entende que o caso deve ser analisado sob o prisma do direito, da política e da ética. Nas sociedades ditas civilizadas, o direito deve servir para proteger o inocente e, ao mesmo tempo, assegurar a punição do culpado. No entanto, em caso de dúvida, o réu pode ser beneficiado – mesmo que as provas apontem para uma possível culpabilidade, se forem obtidas de maneira ilícita, não podem ser aceitas. Desse ponto de vista, o direito – uma construção da sociedade ao longo dos séculos – protege o réu.

Do ponto de vista da política, Janine Ribeiro considera que o abalo foi muito grande e que a imagem do presidente Temer ficou marcada no sentido negativo. “Vai ser muito difícil Temer se recuperar dessa imagem, mesmo que ele seja absolvido, mesmo que continue com o seu mandato.”

Por fim, pelo lado da ética, a percepção que conta é de que é muito importante a intenção, e não a imagem – esta, muitas vezes, nada tem a ver com o que está no íntimo das pessoas, o que importa são as aparências. No caso específico de Temer, o colunista entende que ética e política convergem a partir do momento em que houve tolerância do presidente com alguém – no caso, o empresário Joesley Batista – que se apresentava a ele como um criminoso – algo, por si só, bastante incômodo.

 

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados