Satélite 100% nacional coloca o Brasil na rota da inovação

Em sua coluna semanal para a Rádio USP, o professor Gilson Schwartz comemora o início dos testes com satélite 100% nacional

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A retomada do desenvolvimento econômico, com aprofundamento do processo de apuração e o amadurecimento político institucional, pode ser a fuga das mazelas que assolam o Brasil, na opinião do professor Gilson Schwartz. “Mas esse horizonte possível”, acrescenta, ” depende de uma revisão do quadro conceitual, dos vícios ideológicos e políticos”. De acordo com ele, “boa parte da nossa crise estrutural política e partidária decorre do próprio atraso da construção da hegemonia. É necessário mudar essa ótica. O novo mundo é integralmente estruturado a partir de matrizes digitais. A construção desse megamercado potencial vai dos games às cidades inteligentes”.

Nesse sentido, o colunista comemora o início dos testes brasileiros de um satélite 100% nacional, em um projeto que demanda recursos da ordem de R$ 2,7 bilhões. “Só é possível ter perspectiva de crescimento, distribuição de renda e promoção da justiça social no Brasil, se a gente aumentar a nossa capacidade de produzir informação e comunicação”, diz Schwartz.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados