Reprodução assistida é solução para casais que querem engravidar

A infertilidade é igual entre homens e mulheres e pode ser resolvida com tratamentos e a reprodução assistida

Nesta edição do programa Saúde sem Complicações, Rosana Maria dos Reis, professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da USP, em Ribeirão Preto, fala sobre reprodução humana assistida, dificuldades para iniciar gestação e tratamentos.

De acordo com a professora, “a infertilidade é igual entre homens e mulheres” e pode ser chamada de infertilidade conjugal, “porque se um tem o problema, o casal não consegue dar início à gestação”. 

Rosana conta que o problema pode ser causado por uma série de razões. “As mulheres podem ter dificuldade de ovular e por doenças inflamatórias nas trompas. Nos homens, são comuns os problemas na quantidade e qualidade dos espermatozoides, influenciados pelos hormônios”, afirma.

Para o diagnóstico desses fatores, são necessários exames tanto no homem quanto na mulher e, a partir disso, será previsto um tratamento adequado às condições apresentadas. “Se o problema é só porque a mulher não ovula, é possível controlar a ovulação apenas com medicamento. Porém, se o problema é relacionado à dificuldade do espermatozoide e do óvulo se encontrarem, é recomendado o procedimento de reprodução assistida.”

O programa é produzido pela locutora Mel Vieira e por Maju Petroni, com apresentação de Mel Vieira e trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Direção de Rosemeire Talamone.

Ouça no link acima a íntegra do programa Saúde sem complicações.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.