Regressão industrial e dependência de “commodities” podem explicar queimadas

Para Schwartz, somente mais indústrias, ciência e inovação, e menos dependência de “commodities”, podem libertar o Brasil da autodestruição ecológica

A desindustrialização da economia brasileira levou ao longo dos anos ao aumento da importância relativa das atividades agrícolas, de exploração de minérios e recursos naturais. A expansão da fronteira primário-exportadora leva a mais pressões pela destruição de florestas, áreas de proteção ambiental e desrespeito aos direitos das populações nativas. Somente mais indústrias, com investimentos em ciência, tecnologia e inovação podem libertar o Brasil da autodestruição ecológica. Para o professor Gilson Schwartz, a dependência de commodities nos condena ao atraso.

A UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) acaba de publicar relatório que mostra o avanço desse desequilíbrio nos países em desenvolvimento ao longo dos últimos 20 anos. Link: http://tiny.cc/7j9ybz

Saiba mais em https://sites.usp.br/iconomia/

O professor Gilson Schwartz conversou com Simone Lemos.


Iconomia 
A coluna Iconomia, com o professor Gilson Schwartz, vai ao ar toda segunda-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.