Projeto de lei deve permitir que mulher não assuma maternidade

Se aprovada, lei prevê que seja encaminhado para a Justiça o desejo da gestante ou mãe em entregar seu filho para adoção, antes ou logo após o nascimento

  • 5,9K
  •  
  •  
  •  
  •  

Na segunda edição desta semana do boletim Em dia com o Direito, o aluno Thomas Nosch Gonçalves fala sobre o parto anônimo, previsto no Projeto de Lei 3220/2008. Se aprovado, vai possibilitar que já durante a gravidez ou pós-parto a mãe não assuma a maternidade.

Gonçalves explica que o projeto surge como uma solução para o abandono trágico de recém-nascidos, para afastar a clandestinidade e, consequentemente, evitar as situações indignas nas quais os bebês são deixados.

O Em dia com o Direito é produzido e apresentado por alunos do curso de especialização em Direito Civil: Novos Paradigmas Hermenêuticos nas Relações Privadas, e coordenado pelo professor Nuno Coelho, da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP.  

 Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 5,9K
  •  
  •  
  •  
  •