No Brasil, ética pode ser instrumento de manipulação política

Polarização entre partido “certo” e partido “errado” pode trazer o mesmo resultado da Itália pós Mãos Limpas

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O julgamento da chapa Dilma/Temer traz inquietação para a população. Foi o que disse o professor de ética da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo e colunista da Rádio USP, Renato Janine Ribeiro. De acordo com ele, isso se deve à possibilidade de absolvição diante da investigação apresentada, o que ganha um aspecto simbólico para o País nos dias atuais.

TSE adia julgamento da chapa Dilma-Temer – Foto: Roberto Jayme/ Ascom/TSE via Fotos Públicas/CC

Para o professor Janine Ribeiro, é importante para a democracia haver dois partidos opostos e legítimos para disputar o poder. Porém, ele considera que os brasileiros confundem ética com política e classificam os partidos como “certos” ou “errados”. O resultado do desgaste das lideranças é a possibilidade de políticos  mais extremados assumirem o poder, como ocorreu na Itália pós Operação Mãos Limpas.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados