Julgamento da chapa Dilma/Temer começou bem, na opinião de colunista

André Singer aponta como prova disso o fato de não ter havido, contra todas as expectativas, pedido de vista

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Teve início, enfim, o julgamento, pelo TSE,  da chapa Dilma/Temer, que, nesta quinta-feira (8), entra em seu terceiro dia. O cientista político André Singer aponta dois aspectos que considera positivos: o primeiro deles o fato de, contra todas as expectativas, não ter havido pedido de vista – o julgamento pode prosseguir e tudo indica que chegará a uma conclusão. O segundo aspecto tem a ver com a delação de Marcelo Odebrecht, sobre a qual pairava a dúvida de que poderia ou não ser usada durante o julgamento. Acabou prevalecendo a posição do relator do caso, Herman Benjamin, favorável a que o testemunho do empresário seja levado em conta.

No âmbito político é que a coisa, de fato, pega. Segundo Singer, se houver realmente a cassação da chapa, posição à qual Benjamin já se mostrou favorável, abre-se uma incógnita diante das possibilidades por vir: eleições indiretas por um Congresso desmoralizado e o fato de não haver candidaturas consistentes em um momento de crise política. Portanto, pelo ângulo político, tudo ainda é muito nebuloso. As instituições terão de produzir soluções, argumenta Singer.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados