Muros que nos isolam e nos separam do convívio humano

Em sua coluna “Saúde e Meio Ambiente”, o professor Paulo Saldiva trata dos muros que interferem na estética da cidade

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Pegando “carona” na discussão acerca da derrubada do muro que separa a Raia Olímpica da USP da Marginal Pinheiros, o professor Paulo Saldiva trata da questão dos muros urbanos em São Paulo. Muros que, segundo ele, impedem nossa visão e nos obrigam a ver cimento onde deveria haver espaço, e divisões onde deveria haver pessoas. “Os muros não só interferem com a estética e, consequentemente, com o nosso bem-estar e a nossa percepção, mas impedem que a gente usufrua o bem-estar de encontrar com as pessoas”, afirma Saldiva, para quem os muros representam obstáculos, o medo, as soluções individuais que temos para resolver os problemas de violência e privacidade.

Saldiva não vê saída: “A cidade vai ter de conviver com seus muros, mas não da forma como estão”.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados