Movimento de resistência indígena mantém estratégias de comunicação

O movimento em foco é o Zapatismo, sobre o qual fala o professor, jornalista e documentarista Pedro Ortiz

No Diversidade em Ciência desta semana, Ricardo Alexino Ferreira entrevista o professor, jornalista e documentarista Pedro Henrique Falco Ortiz, doutor em Comunicação e Cultura pelo Programa de Integração da América Latina (Prolam-USP) e pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, além de coautor do livro Zapatistas: a velocidade do sonho (Editoras Tesouros e Entre Livros), obra publicada em conjunto com Marco Brige e Rogério Ferrari.

Pedro Ortiz – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O Zapatismo é um movimento de resistência indígena mexicana contra a marginalização e também luta pela extinção do Nafta, visto pelos indígenas como exemplo de submissão ao poder americano, e pela busca da representatividade política dos povos indígenas.

Em seu doutorado, Pedro Ortiz defendeu a tese Programa de Índio: cultura e identidade indígenas nas cidades (presença de populações indígenas na produção audiovisual, nas regiões metropolitanas de São Paulo e Santiago do Chile: Pancararus e Mapuches) .

O Diversidade em Ciência é um programa de divulgação científica voltado para as ciências das diversidades e direitos humanos e vai ao ar toda segunda-feira, às 13 horas, com reapresentações às terças-feiras, às 2 horas da manhã, e aos sábados, às 14 horas, com direção e apresentação do jornalista, professor da USP e membro da Comissão de Direitos Humanos da USP, Ricardo Alexino Ferreira, e edição de áudio de João Carlos Megale.

O Diversidade em Ciência é gravado no estúdio do Departamento de Comunicações e Artes/Educomunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

A Rádio USP-FM pode ser sintonizada em 93,7 MHz/SP ou pelo link: http://jornal.usp.br/radio/

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.