Educação integral faz com que aluno se identifique com a escola

Para Mozart Ramos, integrar habilidades socioemocionais promove avanço na aprendizagem e gera envolvimento do jovem

O atual cenário da educação no Brasil preocupa por diversos fatores: metas de alfabetização não cumpridas, desempenho ruim em avaliações internacionais, diversos problemas no ensino público, entre outros. Para discutir possibilidades de reverter essa situação, o USP Analisa abre a temporada 2020 com um especial em dois programas entrevistando o titular da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP, Mozart Neves Ramos.

A Cátedra, que iniciou suas atividades em 2020, vai dedicar os dois primeiros anos para contribuir com políticas públicas educacionais em cidades de médio porte. O professor considera o objetivo um desafio, mas acredita que bons exemplos nacionais podem ser seguidos.

“Eu costumo dizer que o Brasil precisa aprender com o Brasil. O país já tem exemplos muito positivos no campo da educação e a gente precisa dar maior disseminação. O Ceará, por exemplo, tem alfabetizado suas crianças aos sete anos de idade. É um programa chamado Programa de Alfabetização na Idade Certa, que tem sido um grande exemplo para o País. A gente às vezes vai buscar soluções lá nos Estados Unidos, em Chicago, em Columbia, em Harvard. É muito bom olhar experiências de fora, mas o Brasil tem experiências muito boas”, afirma Ramos.

Ele chama a atenção, ainda, para o alto índice de evasão de alunos no ensino médio, uma média de 550 mil alunos por ano, ou seja, mais de um aluno por minuto. “O jovem quer uma escola que caiba na vida. Quando ele encontra, ele se identifica, se envolve com a escola. Tanto que a taxa de abandono em Pernambuco é de 1%, enquanto a média nacional no ensino médio é da ordem de 13%. Por quê? Porque o aluno que está em uma escola prazerosa, com a qual ele se identifica, não a deixa. Pelo contrário: até fica além do tempo escolar. Quando a gente integra de forma intencional habilidades socioemocionais como pensamento crítico, criatividade, comunicação, abertura ao novo, resolução de problemas, isso promove um avanço de aprendizagem enorme. Mais do que isso: o jovem, quando tem uma educação integral, tem um impacto muito grande na sua vida futura, tanto pessoal como social.”

O USP Analisa é uma produção conjunta do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP e da Rádio USP Ribeirão Preto.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.