Confundimos matéria constitucional e opinião política, diz colunista

Para Renato Janine, a ministra Cármen Lúcia votou a favor de uma doutrina e essa doutrina favoreceu Aécio Neves

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O professor Renato Janine Ribeiro, em sua coluna semanal, comenta que a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), não votou a favor de Aécio Neves, mas votou de acordo com uma doutrina constitucional que favoreceu o senador. “Estamos confundindo a matéria constitucional com as nossas preferências pessoais e políticas. E infelizmente a culpa é de muitos. É culpa do Legislativo, do Judiciário, da mídia. Todas essas questões foram reduzidas a resultados imediatos.”

Janine também considera que o STF foi invadindo o espaço dos poderes Executivo e Legislativo de formas inaceitáveis em um regime democrático. “O Judiciário tem papel de moderação, de contenção, de evitar excessos. A última coisa que deve fazer é invadir o espaço dos eleitos, mas tem feito isso o tempo todo.”

Para o professor, depois de um enfraquecimento do Executivo e do Legislativo, estamos vivendo um enfraquecimento do Judiciário. “Ninguém pode estar feliz com esta situação, num país onde as instituições estão perdendo o respeito, onde as pessoas concordam, admiram e até aplaudem o juiz, mas só quando ele toma uma decisão que agrade a elas. Basta tomar uma única decisão que desagrade e já ficam contra.”

Ouça acima o áudio na íntegra.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados