Câncer de colo do útero tende a ser extinto no futuro

Estudo realizado na Austrália traz bastante otimismo no que diz respeito à prevenção efetiva dessa doença 

  • 226
  •  
  •  
  •  
  •  

O médico Alexandre Faisal apresenta nesta edição um estudo australiano, publicado no periódico Lancet, que mostra que no futuro as mulheres australianas não morrerão mais de câncer de colo uterino. Os pesquisadores utilizaram dados de rastreamento que há na Austrália para o diagnóstico precoce da doença e, através de um modelo matemático, concluíram que, em 2077, uma mulher em 100 mil terá câncer de colo do útero; em 2035, quatro mulheres terão este câncer; e, em 2022, estimam que serão seis casos, sugerindo que a extinção do câncer de colo do útero está bastante perto de nós.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Saúde Feminina.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 226
  •  
  •  
  •  
  •