Ano de 1968 também marcou o audiovisual brasileiro

Foi o ano em que o Masp mudou-se para o prédio onde funciona até hoje, na Avenida Paulista

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

 

Na coluna Fique de Olho desta semana, o professor Eduardo Rocha fala sobre 1968, o ano que marcou também o audiovisual brasileiro, o ano em que o Masp (Museu de Arte de São Paulo) mudou-se para onde o prédio funciona hoje, na Avenida Paulista – nesses 50 anos, tornou-se referência nas artes visuais, pinturas, esculturas e fotografias, contando com acervo de mais de 10 mil peças.

O professor diz que “não bastasse o museu de grandes proporções de rico conteúdo criado por Assis Chateaubriand e planejado por Lina Bo Bardi e seu marido Pietro Maria Bardi desde 1947, sua localização na Av. Paulista tem algumas outras particularidades que também atendem à estimulação visual”.

Rocha também fala sobre a versão de meio século do Masp ter sido planejada “não só para ser acervo de coletânea riquíssima de artes, mas também para atender requisitos diferentes de muitos museus de arte onde as imagens são colocadas nas paredes”.

Ouça acima, na íntegra, a coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados