Alta no desemprego escancara fragilidade da recuperação econômica

Retomada é puxada pelo aumento da informalidade, que alcança níveis preocupantes no País, avalia especialista

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

jorusp

 

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam uma alta no desemprego, que chegou a 12,6% em fevereiro. São 13,1 milhões de brasileiros desempregados: é o menor número de carteiras assinadas já registrado desde o início da contabilização, em 2012.

Fernando Rugitsky, professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, conta que de abril a dezembro de 2017 o desemprego esteve em queda lenta no Brasil. Para ele, o aumento dos números no último trimestre deixa clara a fragilidade da recuperação econômica que se desenha no País. Essa retomada da economia estaria sendo puxada pela alta do emprego informal, sem carteira assinada, que hoje ocupa cerca de 10 milhões de brasileiros.

Rugitsky lembra que a tendência observada nos últimos 15 anos foi de migração dos trabalhadores da informalidade para postos com carteira assinada. A inversão dessa lógica, observada hoje, característica de países subdesenvolvidos, é um sinal grave para o Brasil. Nos empregos sem registro, os direitos trabalhistas não estão garantidos e as condições de trabalho são, em geral, muito piores, avalia o professor. Ainda segundo ele, a reforma trabalhista, aprovada em 2017, reforça essa transição, ao flexibilizar os direitos dos empregados.

O professor avalia que uma recuperação econômica, com efeitos significativos no mercado de trabalho, só será observada com uma reversão das ações do governo. Medidas como corte de gastos e investimentos reduzem a própria arrecadação do Estado, impactando, sobretudo, os mais pobres, e mantendo a desigualdade em níveis alarmantes.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados