A artista que transformou sua música num hino de liberdade

Alexino Ferreira diz que Violeta Parra levou a cultura de seu país para dentro do próprio Chile e para a América Latina e Europa

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A coluna “Diversidades” desta semana trata da importância de Violeta Parra para a cultura chilena e mundial, no momento em que se celebram os cem anos do nascimento da artista que criou o conceito de música popular chilena e que fundou, em 1958, o Museu Nacional de Arte Folclórica Chilena. De acordo com Alexino Ferreira, “a música de Violeta Parra tornou-se um hino de liberdade frente às ditaduras que se configuravam na América Latina”.

Sua música foi interpretada por artistas como Mercedes Sosa, Milton Nascimento e Chico Buarque, entre outros. Violeta Parra viveu intensamente, deixando vasta obra, entre músicas, pinturas e esculturas. Ela cometeu suicídio em 5 de fevereiro de 1967, aos 50 anos.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados