Museu de Zoologia inaugura exposição com ilustrações de aves

A mostra reúne 32 ilustrações de papagaios, araras e periquitos do artista plástico, Eduardo Parentoni Brettas

Por - Editorias: Press release
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
O apuim-de-costas-pretas é uma das espécies menos estudadas da região neotropical

No próximo dia 22 de maio (segunda-feira), às 12h, será inaugurada, no espaço expositivo do prédio da Reitoria, a exposição “Terra Papagalli”. A mostra reunirá 32 ilustrações de papagaios, araras, periquitos e maracanãs de autoria do artista plástico Eduardo Parentoni Brettas.

A coordenação científica é do professor do Museu de Zoologia (MZ) da USP, Luís Fábio Silveira, que é curador da maior coleção de psitacídeos do mundo, pertencente ao MZ, e autor do livro de mesmo nome, considerado o maior levantamento artístico-científico já realizado sobre as 91 espécies de psitacídeos brasileiros. Silveira também é um dos mais importantes ornitólogos do país.

A riqueza de espécies de psitacídeos brasileiros foi notada na primeira menção ao país feita, em 1500, pelo escrivão da armada real portuguesa, Pero Vaz de Caminha, que reportou a presença de araras-vermelhas e de periquitos vivendo entre os nativos como animais de estimação.

O Museu de Zoologia da USP é detentor de um dos maiores acervos zoológicos da América Latina e é a primeira instituição brasileira a ser reconhecida como fiel depositária pelo Conselho de Gestão do Patrimônio Genético do Ministério do Meio Ambiente. Com mais de 10 milhões de exemplares preservados, guarda testemunhos únicos sobre espécies e ecossistemas, alguns já extintos.

A exposição fica aberta ao público até o dia 25 de agosto, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, no térreo do prédio da Reitoria (Rua da Reitoria, 374, na Cidade Universitária, em São Paulo). A entrada é gratuita.

Espaço expositivo

Essa é a quinta exposição a ocupar o saguão da Reitoria, que tem se caracterizado como importante espaço expositivo na Cidade Universitária. Em 2014, entre os meses de novembro e dezembro, duas exposições ficaram em cartaz: “Matemateca”, organizada pelos professores do Instituto de Matemática e Estatística (IME), que apresentou diversos objetos com significado matemático, desde jogos de tabuleiro 3D até formas geométricas que poderiam ser consideradas obras de arte; e “Porquoi les Mathématiques?”, montada em parceria com a Maison des Mathématiques et de l’Informatique de Lyon.

Entre abril e julho de 2015, a exposição “Traço|Compassos: Mário de Andrade em caricaturas”, organizada pelo Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), homenageou os 70 anos da morte do escritor, com 30 obras assinadas por Nássara, Millôr Fernandes, Paulo Cavalcanti, Antonio Paim Vieira, Hilde Weber, José Corrêa Moura, Nicolielo, Hippert, Baptistão, Cláudio Duarte, entre outros artistas.

De agosto a novembro daquele ano, foi a vez da exposição “MAE/USP e a Amazônia: alguns olhares da Arqueologia”, organizada pelo Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da Universidade. A exposição reuniu 43 peças oriundas do acervo de arqueologia amazônica, considerado um dos maiores do Brasil.

No ano passado, 320 peças dos acervos dos Museus Paulista e de Arqueologia e Etnologia fizeram parte da exposição “Moedas da Antiguidade Romana nos Acervos da USP – Museu Paulista (MP) e Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE)”, que ficou em cartaz de março a maio de 2016.

(Imagem: Divulgação)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados