Adalberto Fazzio toma posse como novo diretor do Instituto de Física

O novo diretor do Instituto de Física (IF), Adalberto Fazzio, assume com o compromisso de trabalhar para a flexibilização dos cursos, tornando a formação mais abrangente e que permita aos alunos atuarem cada vez mais em problemas temáticos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A cerimônia de posse foi realizada na última sexta-feira, dia 14 de março, no Auditório Abrahão de Moraes, e contou com a presença de dirigentes da Universidade, servidores técnico-administrativos e alunos do Instituto.

Em seu discurso de posse, o novo diretor do Instituto de Física (IF), Adalberto Fazzio, assumiu o compromisso de trabalhar para a flexibilização dos cursos, tornando a formação mais abrangente e que permita aos alunos atuarem cada vez mais em problemas temáticos.

“Neste tempo em que o conhecimento avança tão rápido, os nossos cursos têm que ser flexíveis, para que os alunos atuem cada vez mais em problemas temáticos”, analisou o novo diretor, em seu discurso de posse

“Ao longo de nossa história sempre fomos uma instituição protagonista, atuando além dos muros da USP de forma propositiva. Não há razão para uma acomodação, principalmente diante das mudanças que ocorrem no mundo atual. A sociedade reclama um papel mais engajado das instituições de ensino superior, em particular das instituições públicas. Delas se exigem retornos não só na forma de publicações internacionais, mas também de atividades com o olhar voltado para o desenvolvimento social e econômico. Hoje está na pauta do debate em todo o mundo a procura por soluções para os grandes desafios que se apresentam em nosso planeta, como clima, energia, água, saúde, etc., visando um futuro sustentável para a sociedade. Nesse cenário, a física adquire um papel fundamental. Não podemos esquecer que quase 40% do PIB americano é baseado no conhecimento da Mecânica Quântica”, lembrou Fazzio.

O diretor defendeu que, além da missão educacional, o IF precisa contribuir com soluções que possam promover o desenvolvimento da ciência e tecnologia do país. De acordo com ele, “esse é o conceito da extensão inovadora, que supera a ideia da prática extensionista como consultoria empresarial, prestação de serviço, assistencialismo. A extensão deve constituir o núcleo promotor dos chamados ‘meios de inovação’: relações com foco na produção de novos conhecimentos, novos produtos e novos processos. O lócus da sinergia entre os atores acadêmicos, o poder público e o setor produtivo”.

Alinhamento e sincronismo

O reitor Marco Antonio Zago iniciou seu discurso agradecendo ao professor Renato Jardim, pelos quatro anos em que esteve à frente do Instituto, e destacou que as metas e os objetivos do novo diretor estavam bastante alinhados com o programa de gestão da Reitoria.

Em seu discurso, o reitor afirmou que a ciência não pode ser medida apenas por trabalhos e citações – meros instrumentos que orientam a avaliação. É necessário que ela se volte para a identificação e a solução dos grandes problemas fundamentais

“Há um alinhamento e um sincronismo de ações que devem incluir não apenas o Instituto de Física, mas outras Unidades, levando em conta nossa enorme diversidade que abrange, com qualidade, diversas formações profissionais. É no conjunto que a USP tem de ser completa. Espero que, juntos, possamos fazer parte na condução dessa que é a mais expressiva das universidades ibero-americanas – fato que traz tanto bônus quanto ônus, que devemos repartir. Só assim podemos trabalhar e progredir”, afirmou Zago.

O reitor também reforçou a necessidade de estabelecer o papel da física nas ciências e de despertar a criatividade e o entusiasmo dos jovens para a análise das grandes questões, para a identificação e solução dos problemas fundamentais.

A cerimônia contou com a presença de diversos dirigentes como o pró-reitor de Graduação, Antonio Carlos Hernandes; a pró-reitora de Pós-Graduação, Bernadette Dora Gombossy de Melo Franco; a pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, Maria Arminda do Nascimento Arruda; o chefe de Gabinete, José Roberto Drugowich de Felício; o presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, Raul Machado Neto; e secretário-geral Ignácio Maria Poveda Velasco. Também prestigiou o evento o conselheiro do Conselho Nacional de Educação, Luiz Roberto Liza Curi.

O Coral Physicantus, formado por docentes, funcionários e alunos do Instituto de Física, encerrou a cerimônia, sob a regência de Munir Sabag.

(Fotos: Francisco Emolo)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados