Wisnik destaca filme que denuncia violência contra índios caiovás

Um momento particularmente tocante no filme é o discurso de Ailton Krenak, no plenário da Câmara, em 1987, em sua defesa das nações indígenas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

cab_wisnik

logo_radiousp790px
.

Cena do filme Martírio - Foto: Divulgação/Ernesto de Carvalho
Cena do filme Martírio – Foto: Divulgação/Ernesto de Carvalho

O filme Martírio, de Vincent Carelli, retrata a saga dos índios guaranis caiovás no Mato Grosso do Sul, onde são tratados como alienígenas em seu próprio território. A comunidade indígena é acompanhada desde o final dos anos 1980 até os dias atuais. De acordo com o colunista Guilherme Wisnik, os caiovás passam por um processo de invisibilidade e sofrem todo tipo de violência por parte dos fazendeiros, que contam  com apoio de políticos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados