Todos são potenciais doadores de córnea

De acordo com o professor Eduardo Rocha, a lista de exclusão aponta doenças específicas que serão avaliadas antes do transplante

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

No “Fique de Olho” desta semana, o professor Eduardo Rocha fala sobre o processo de doação de córnea utilizado para transplante. Rocha explica que a equipe de saúde procura a família do paciente falecido para perguntar sobre a intenção da doação. Em caso afirmativo, equipes treinadas colhem e preparam a córnea para outro paciente, em um processo que dura cerca de 24 horas.

Rocha  alerta que todos podem ser potenciais doadores, porque a lista de exclusão são para doenças específicas que serão avaliadas no prontuário do possível doador, antes da realização do transplante. A fila de doação é única, regionalizada e, além disso, para os receptores, há exceções, como casos mais graves, que precisam ser priorizadas de acordo com avaliação da câmara técnica de transplante de córnea. Ouça, acima, na íntegra, a coluna do professor Eduardo Rocha.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados