Programa de Demissão Voluntária federal é medida paliativa

Para o professor João Luiz Passador, a iniciativa proposta pelo governo federal é pouco eficaz

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Com rombo nas contas públicas, o governo federal anunciou, no final de julho, um Programa de Demissão Voluntária (PDV), visando a se aproximar da meta do déficit das contas públicas. Se atingir a meta de adesões (cerca de 5 mil na primeira fase do programa), a economia será de cerca de R$ 1 bilhão.

Para o professor João Luiz Passador, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Fearp) da USP em Ribeirão Preto, a medida terá muito pouco impacto, do ponto de vista das finanças públicas, e pode gerar grandes problemas do ponto de vista da qualidade da prestação de serviços públicos.

Saiba mais ouvindo a entrevista que o professor concedeu à Rádio USP.

Foto: Hua Lin via Flickr – CC

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados