Os direitos dos negros retratados em expressões artísticas

Em sua coluna semanal para a Rádio USP, Guilherme Wisnik trata de uma exposição e de um filme com temáticas antirracistas.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Na coluna “Espaço em Obra” desta semana, o professor Guilherme Wisnik fala sobre a exposição (em cartaz no Sesc Pinheiros) Todo Poder ao Povo, que reúne trabalhos de Emory Douglas, do Movimento Panteras Negras, que lutava pelos direitos dos negros e que foi muito ativo nos anos 1960 e 1970. Para Wisnik, é interessante que uma exposição assim denominada esteja em cartaz justamente agora, num momento de turbulência política.

O professor aproveita a deixa para fazer uma ligação com o documentário Eu Não Sou Seu Negro, que trata do racismo nos EUA a partir de um livro de James Baldwin. Nesse livro de memórias, Baldwin recorda sua relação com os grandes líderes do movimento negro americano, como Martin Luther King. Wisnik faz um paralelo entre a luta contra o racismo num país em que isso ficou muito marcado, como os EUA, e aquela ocorrida no  Brasil, onde as manifestações pelo direito dos negros nunca tiveram  o mesmo poder de contestação.

 

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados