Economia brasileira quer se “descolar” do cenário político

Análise é de professor Sérgio Sakurai com base em número de contratação de mão de obra

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Os sinais tímidos, mas constantes, de recuperação em setores como criação de novas vagas de trabalho formais podem significar que a economia esteja querendo se descolar das más influências que a instabilidade política proporciona.

Esta é a análise do professor Sérgio Sakurai, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP .

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Ele é coordenador de vários boletins, como os de Termômetro Tributário  e de Mercado de Trabalho, elaborados pelo Ceper, o Centro de Pesquisa em Economia Regional, ligado à faculdade. Esses boletins apresentam resultados positivos para a região de Ribeirão Preto, mas refletem também a tendência nacional.

Na geração de empregos, a região de Ribeirão Preto registrou 2.375 postos de trabalho em abril deste ano, pouco acima dos 2.338 de abril do ano passado. No Brasil, a situação é melhor: foram mais 60 mil postos de trabalho naquele mês contra desativação de mais de 60 mil empregos em abril de 2016.

Quanto à arrecadação de impostos federais, a alta em abril foi de 7,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, na região de Ribeirão Preto. No nível federal, a arrecadação teve queda de 1,5% no período.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados