USP terá ciclopassarela, que ligará o campus ao Parque Villa-Lobos, em SP

A ciclopassarela terá 500 metros de extensão, de 12 a 14 metros de largura, dois mirantes e poderá receber até 30 mil pessoas por dia. Implantação está prevista para 2014.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Na cerimônia, o reitor (à esquerda) e o governador assinaram um protocolo de intenções para a implementação da ciclopassarela

A partir de 2014, a Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira” vai ganhar uma ciclopassarela que ligará o campus ao Parque Villa-Lobos, nas margens do Rio Pinheiros, em São Paulo. O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em cerimônia realizada no dia 13 de dezembro. O evento reuniu dirigentes da Universidade, secretários de Estado e outras autoridades governamentais, no prédio da Antiga Reitoria, que está em processo de conclusão de sua restauração.

A execução do projeto, que é de autoria do professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) e coordenador do Núcleo de Pesquisa em Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo (Nutau), Bruno Roberto Padovano, será em parceria com o Banco Mundial. “Um grande ganho para a cidade a inserção do paisagismo na malha urbana de São Paulo”, ressaltou o governador.

“Esse é um momento auspicioso para a Universidade”, exaltou o reitor João Grandino Rodas. Para ele, em um ambiente cada vez mais sobrecarregado de automóveis, são necessários meios alternativos de transporte. “Nada mais apropriado do que uma ciclopassarela, para que a população possa acessar o campus“, afirmou.

O reitor explicou que serão feitos estudos de viabilidade técnica quanto à substituição do muro, com 2.500 metros de extensão, que hoje separa a Raia Olímpica e a Marginal Pinheiros. “Há um conjunto de ações e medidas que precisam ser pensadas antes dessa substituição”, considerou.

A ciclopassarela terá 500 metros de extensão, de 12 a 14 metros de largura, dois mirantes e poderá receber até 30 mil pessoas por dia

Com via de circulação para pedestres e ciclistas separadamente, a ciclopassarela terá 500 metros de extensão, de 12 a 14 metros de largura, dois mirantes e poderá receber até 30 mil pessoas por dia.

Segundo a Secretaria  Estadual de Desenvolvimento Metropolitano, a obra tem custo estimado em R$ 80 milhões. A ciclopassarela representa a primeira fase do Plano de Requalificação Urbana e Social das Marginais do Sistema Tietê-Pinheiros. A próxima etapa do plano é a confluência dos rios Tietê e Pinheiros na região do Cebolão.

(Fotos: Ernani Coimbra / Imagens: Divulgação)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados