Jardim Japonês do Instituto de Biociências reabre após reforma

A reinauguração do Jardim Japonês é uma homenagem aos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil

Por - Editorias: Institucional
  • 393
  •  
  • 9
  •  
  •  
Uma cerimônia xintoísta marcou a reinauguração do Jardim Japonês, no dia 29 de junho – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Em comemoração aos 110 anos da Imigração Japonesa, a Associação Brasileira de Imigrantes Japoneses do Brasil (Abija) e a Prefeitura do Campus USP da Capital promoveram a reforma do Jardim Japonês, localizado no Herbário do Instituto de Biociências.

Uma cerimônia xintoísta, realizada no dia 29 de junho, marcou a reinauguração do espaço e contou com a participação do prefeito do Campus da Capital, Hermes Fajersztajn, além de representantes da Associação e da comunidade uspiana.

Ocupando um espaço de aproximadamente 5 mil metros quadrados, o Jardim Japonês ganhou um novo Portal, doado pela comunidade nipo-brasileira de Vargem Grande Paulista, além de pinheiros japoneses (matsu) e carpas coloridas (nishikigoi), doadas pelo Pavilhão Japonês do Ibirapuera.

O jardim foi construído pelos imigrantes japoneses e inaugurado, em 1967, pelos então príncipes Akihito e Michiko (atuais Imperador e Imperatriz do Japão, respectivamente), que vieram ao Brasil para a celebração do 60ª aniversário da Imigração Japonesa. Em 2017, a Abija deu início à restauração do espaço para comemorar tanto o 50º aniversário do Jardim quanto os 110 anos da imigração.

Encontro com o reitor

Na manhã do dia 28 de junho, o cônsul-geral do Japão em São Paulo, Noguti Yasushi, e a presidente da Abija, Miyoko Shakuda, visitaram o prédio da Reitoria e foram recebidos pelo reitor Vahan Agopyan. A visita foi para entregar ao dirigente a placa comemorativa da reforma do Jardim Japonês.

“Essa é uma oportunidade ímpar para aproximar ainda mais os dois países. A tradição japonesa no Brasil iniciou-se em 1908, com a chegada do primeiro navio japonês trazendo imigrantes. Hoje, vivemos um entrosamento entre os povos e não há mais uma comunidade japonesa no Brasil, mas sim uma comunidade nipo-brasileira”, afirmou o professor do Instituto de Ciências Biomédicas, Ii-Sei Watanabe, representando a comunidade japonesa.

O reitor agradeceu a homenagem e reforçou que “nós somos um caldeirão de culturas e aqui essas culturas se misturam rapidamente, de uma maneira bastante interessante. A mistura de raças é a grande riqueza do nosso País e, certamente, a USP se beneficiou muito dos descendentes da comunidade japonesa. Os nossos nikkeis se dedicam à Universidade de maneira muito intensa e contribuem para o desenvolvimento não apenas da USP, mas do País”.

Acompanharam a visita o chefe de Gabinete, Gerson Yukio Tomanari; a pró-Reitora de Cultura e Extensão Universitária, Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado; o presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani), Raul Machado Neto; o diretor adjunto da Aucani, Valmor Alberto Augusto Tricoli; e o prefeito do Campus USP da Capital, Hermes Fajersztajn.

Entre os representantes da comunidade japonesa, também estavam presentes o vice-presidente da Abija, Yukisada Oya; o diretor Shinichi Hatori; o conselheiro Koiti Nakazawa; e o empresário Oswaldo Takaki.

A visita teve o propósito de entregar ao reitor a placa comemorativa da reforma do Jardim Japonês – Foto: Erika Yamamoto/Assessoria de Imprensa da USP

 

  • 393
  •  
  • 9
  •  
  •  

Textos relacionados