Abílio Baeta Neves analisa a situação atual e as perspectivas da pós-graduação

Baeta Neves é o primeiro titular da Cátedra Paschoal Senise da Pró-Reitoria de Pós-Graduação

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=322055
O webinar A Pós-Graduação: Situação Atual e Perspectivas inaugura as atividades da Cátedra Paschoal Senise da Pró-Reitoria de Pós-Graduação – Foto: Erika Yamamoto/Assessoria de Imprensa da USP

No dia 12 de maio, o ex-presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Abílio Baeta Neves, apresentou o webinar A Pós-Graduação: Situação Atual e Perspectivas. O evento inaugura oficialmente as atividades da Cátedra Paschoal Senise da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, da qual Baeta Neves é o primeiro titular.

“A pós-graduação do Brasil passa por uma fase de transição. Na USP, estamos terminando um ciclo de dez anos e teremos que discutir questões como multiavaliação e mudanças nos modelos de financiamento, para definir um novo plano estratégico para a Universidade. Contamos com a experiência e o conhecimento de Baeta Neves para colaborar com essas discussões”, afirmou o pró-reitor de Pós-Graduação, Carlos Gilberto Carlotti Júnior.

O catedrático falou sobre as mudanças conceituais que estão transformando as diretrizes da pós-graduação brasileira, que deixa de priorizar a expansão do sistema de pós-graduação no Brasil e se volta para a avaliação dos resultados e qualidade das pesquisas.

“Há apenas 50 anos o Brasil começou a se preocupar com a institucionalização da pós-graduação nas universidades brasileiras e a construção de uma base de pesquisa. Esse processo de implantação da pós-graduação nacional foi muito bem-sucedido e agora há uma mudança de perspectiva. Hoje a pós-graduação precisa formar profissionais de diversos perfis, que tenham a capacidade para ser docente, pesquisador, gestor e empreendedor”, explicou Baeta Neves.

Outra questão levantada pelo catedrático é a característica da USP de ser uma universidade de massa, com grande variedade interna, mas que possui grupos de excelência muito fortes. “A USP já está consolidada entre as melhores universidades brasileiras, o desafio agora é encontrar o equilíbrio entre a diversidade de suas unidades e firmar um projeto forte como universidade de pesquisa de grande reputação internacional”, disse.

Cátedra Paschoal Senise

Criada no final do ano passado, a Cátedra Paschoal Senise tem como propósito refletir sobre a pós-graduação da Universidade e propor inovações na área. Para isso, a cada ano, a cadeira terá como titular uma personalidade do mundo acadêmico, externa à USP, que promoverá debates e conferências com professores, pesquisadores e alunos.

“Esse novo modelo de cátedra tem sido uma experiência de sucesso na USP. É uma oportunidade para compartilharmos nossas preocupações com personalidades externas à Universidade, de grande reputação e experiência, que trazem uma nova perspectiva e sugestões”, afirmou o reitor Vahan Agopyan, na abertura do webinar.

A cátedra homenageia o professor Paschoal Ernesto Américo Senise, considerado como um dos principais responsáveis pela regulamentação da pós-graduação na USP. Em 2019, a Universidade comemorou os 50 anos da implantação dessa modalidade de ensino.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.