Mostra do Cinema da USP apresenta o Novo Cinema Alemão

De 4 a 30 de junho, Cinusp expõe a produção cinematográfica alemã dos anos 60

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=170291
  • 63
  •  
  •  
  •  
  •  
Cartaz de divulgação da nova mostra do Cinusp – Foto: Divulgação / Cinusp

.
No dia 4 de junho, segunda-feira, entra em cartaz no Cinema da USP Paulo Emílio (Cinusp) a mostra Tempos Críticos: Novo Cinema Alemão. As exibições duram até o dia 30 e os filmes selecionados fazem parte desse movimento inovador que tomou conta da Alemanha no início da segunda metade do século 20.

Nos anos 60, a Alemanha ainda passava por um árduo pós-guerra. Enquanto isso, em vários países, jovens questionavam a ideologia, a moral e os sistemas vigentes, através de movimentos políticos e culturais. Foi nesse cenário que uma geração de  cineastas oxigenou o cinema alemão com filmes que questionavam de forma agressiva e pessimista os ideais das gerações anteriores. Para além disso, trouxe inovações na forma, na estética e no modo de fazer cinema.

Em meio à revolução sexual e de costumes que ocorreu na época, cineastas mulheres pertencentes a grupos LGBTs também fizeram parte do movimento, como Helma Sanders-Brahms e Margarethe von Trotta. Esta última é a diretora de Os Anos de Chumbo (Alemanha, 1981, 106 min.), filme que aborda a relação entre duas irmãs que participam de movimentos políticos, após a prisão de uma delas. A obra é uma das atrações do dia 15 de junho.

Iniciado nos anos 60, o movimento conhecido como Novo Cinema Alemão introduziu nova estética na arte cinematográfica – Foto: Divulgação / CINUSP

.
Roberto Trevizano, um dos curadores da mostra, conta que a ideia inicial não era abordar o movimento como um todo. ”Estávamos pensando em fazer uma retrospectiva de Werner Herzog, até que pensamos em expandir para o contexto do cinema alemão dos anos 60 aos 80.” Para ele, os ecos dessa agitação juvenil ainda podem ser vistos hoje em dia e quem assiste aos filmes do Novo Cinema Alemão consegue traçar paralelos com a atualidade. ”Achamos bem apropriado, porque estamos em 2018, comemorando o aniversário dos 50 anos de Maio de 68, e consequentemente desses filmes também”, conta.

A mostra contará com algumas sessões especiais. A partir das 19 horas do dia 15 de junho até as 6 horas do dia seguinte ocorre o Noitão da Perturbação, em que são exibidos ”filmes que trazem estados de consciência alterada por razões que vão desde o uso de drogas, transe hipnótico até as alucinações da esquizofrenia”, de acordo com a assessoria do evento. Já no dia 22 de junho, às 14 horas, será exibido o longa Hitler – Um Filme da Alemanha, que tem cerca de sete horas de duração. Também ocorre, entre os dias 7 e 27 de junho, uma sessão especial de curtas-metragens.

O longa Hitler – Um Filme da Alemanha será exibido na mostra – Foto: Divulgação / CINUSP

.
Trevizano conta que o público pode esperar filmes bem críticos e diversos. ”São filmes bem diferentes e inovadores na forma, na estética e no modo como trabalham com o tempo. Alguns são mais lentos, recorrendo a artifícios do teatro, e outros, mais acelerados e experimentais.”

A mostra Tempos Críticos no Novo Cinema Alemão será realizada de 4 a 30 de junho, no Cinema da USP Paulo Emílio (Cinusp), localizado nas Colmeias, Favo 4 (Rua do Anfiteatro, 181, Cidade Universitária, em São Paulo). A programação completa da mostra está disponível no site do cinusp. Entrada grátis. 

  • 63
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados