Festival de Música de Prados acontece neste mês

Fundado há 45 anos pelo maestro e professor da USP Olivier Toni, evento é um dos mais tradicionais do gênero no País

 14/07/2022 - Publicado há 3 meses
Prados, cidade mineira com origens coloniais, é a sede do festival – Fotomontagem feita por Guilherme Castro/Jornal da USP com imagens de Flickr e Pradosmg

 

O 43º Festival de Música de Prados – um dos mais tradicionais eventos do gênero no Brasil – acontece de 17 a 30 de julho nas cidades de Prados, Tiradentes e Barbacena, em Minas Gerais. Gratuita, a programação do festival inclui 17 apresentações, entre concertos e recitais, 18 oficinas de instrumentos e musicalização e duas palestras da professora Flávia Camargo Toni, do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP (veja neste link a programação completa do evento). Flávia falará no dia 18, às 20h30, na Casa da Música, em Prados, sobre A Música no Panorama das Artes na Semana de Arte Moderna, e no dia 19, no mesmo horário e local, sobre Música e Engajamento: em Torno de Mário de Andrade.

Criado em 1977, o Festival de Música de Prados foi idealizado há 45 anos pelo maestro e compositor Olivier Toni (1926-2017) – um dos fundadores do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP -, em parceria com o maestro e compositor pradense Adhemar Campos Filho (1926-1997). O neto de Olivier Toni, Eduardo Toni Raele, formado em Música pela ECA, é o atual diretor executivo do festival.

Neste ano, o Festival de Música de Prados vai lembrar o centenário da Semana de Arte Moderna. Boa parte da programação terá como destaque obras do compositor Heitor Villa-Lobos, um dos músicos participantes da Semana de 1922. De acordo com o violinista Fabio Brucoli, diretor artístico do festival, o foco em Villa-Lobos tem como objetivo celebrar a importância do compositor para a cultura brasileira. “Mesmo sendo reconhecido como um dos maiores compositores do mundo, sua obra, de forma geral, é desconhecida por grande parte dos brasileiros. O público vai ouvir, entre outras obras do compositor, o Choro nº 7 ou Settimino, a Bachiana Brasileira nº 9 e o Concerto para Violão e Pequena Orquestra.” O festival exibirá também obras de Johann Sebastian Bach, Claude Debussy e Guerra Peixe.

 

Entre os músicos que se apresentarão no festival está o violonista Octávio Deluchi. Nascido em São João Del Rei e crescido em Prados, Deluchi é vencedor de 15 prêmios nacionais e internacionais de música – como o IBLA Grand Prize, da Sicília, na Itália -, já se apresentou no Carnegie Hall, em Nova York, nos Estados Unidos, e atualmente faz doutorado na Stony Brook University, também nos Estados Unidos. Outros nomes presentes nesta edição do evento são a pianista Rosana Diniz, ganhadora do primeiro lugar no concurso Friederich Chopin de Varsóvia, na Polônia, e o violoncelista Mauro Brucoli, graduado na Academia de Sofia, na Bulgária, e atualmente primeiro violoncelo solista da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo.

A trajetória do Festival de Música de Prados remonta a meados de 1970, quando Olivier Toni visitava cidades mineiras em busca de partituras coloniais – conforme divulgou a assessoria de imprensa do evento. Ao chegar em Prados, ele se surpreendeu com a atividade musical da cidade, que, com pouco mais de 5 mil habitantes, possuía banda, coro e orquestra, organizados por uma entidade musical criada em 1859, a Lira Ceciliana, então dirigida pelo maestro Adhemar de Campos Filho.

“Eles rapidamente fizeram amizade e combinaram que Toni levaria a Prados alguns estudantes do curso de Música da USP, do qual era diretor, para tocar com os pradenses, aprender, ensinar e conviver com a comunidade. Essa tradição perdura até os dias hoje, graças à relação do público com o festival”, conta Toni Raele.

Mais informações estão disponíveis neste site (clique aqui).


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.