Ciência e artes são áreas com maior diferença de renda entre raças e gêneros

Novo número da revista “Estudos Econômicos” traz estudo sobre diferenciais de rendimentos entre raças e gêneros nas regiões metropolitanas por níveis ocupacionais

Por - Editorias: Ciências Humanas
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Mulheres e negras têm menor renda nas regiões estudadas na pesquisa. Na imagem, debate durante o Fórum Social Temático, em Porto Alegre – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foi lançada mais uma edição (volume 48, número 1, 2018) da revista Estudos Econômicos, ligada à Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis (FEA) da USP.

De interesse geral, a revista tem publicado com regularidade artigos das mais diversas áreas da Economia, incluindo Microeconomia Aplicada, Macroeconomia, Organização Industrial, Finanças, Economia da Inovação, História Econômica e História do Pensamento Econômico.

O novo número conta com um estudo de Francisca Zilania Mariano e colaboradores sobre diferenciais de rendimentos entre raças e gêneros nas regiões metropolitanas por níveis ocupacionais. A pesquisa utilizou-se de dois métodos de comparação para chegar aos resultados. Concluiu-se que mulheres e indivíduos não brancos possuem rendimentos menores em relação aos demais. As diferenças de remunerações entre gêneros são maiores nas áreas da ciência e das artes. Além de ciência e artes, inclui-se o grupo de dirigentes entre as maiores disparidades de renda entre raças.

A edição deste trimestre conta ainda  com artigo a respeito do mercado imobiliário da cidade de São Paulo; pesquisa sobre empregos no setor público; e estudo sobre a elite mercantil paulistana na segunda metade do século 18, entre outros assuntos.

Para acesso à publicação na íntegra, visite o Portal de Revistas USP.

Mais informações: e-mail estudoseconomicos@usp.br

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados