Trump incentiva produção de carvão e renega Acordo de Paris

Para alavancar geração de empregos, o presidente dos Estados Unidos revoga plano de energia limpa

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O diretor da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, Scott Pruitt, anunciou nesta semana que o plano de redução de emissão de gases de efeito estufa, do governo do ex-presidente Barack Obama, será revogado.

A justificativa utilizada pela gestão do presidente Donald Trump é a de geração de empregos, especialmente para o setor de carvão. O professor Pedro Luiz Côrtes, da Escola de Comunicações e Artes da USP e coordenador da Rede Internacional de Estudos Sobre Meio Ambiente e Sustentabilidade, a Rimas, conta que o carvão corresponde a um terço da produção de energia dos Estados Unidos e que essa participação seria reduzida gradualmente até 2030, em alinhamento com o acordo climático de Paris.

O professor lamenta o que considera um retrocesso. Côrtes destaca que, além da contribuição para o efeito estufa, o carvão lança resíduos particulares, que agravam a poluição do ar.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados