Projeto treina crianças para atender parada cardíaca e AVC

Kids Save Lives, representado pela Faculdade de Medicina da USP, visa a integrar Universidade e comunidade

  • 201
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

O projeto Kids Save Lives existe em diversos locais do mundo, inclusive no Brasil, onde é representado pela Faculdade de Medicina da USP.  A proposta possibilita o treinamento de professores e alunos da rede pública de ensino fundamental e médio pelos graduandos e docentes da Universidade. A iniciativa é apoiada pela Organização Mundial da Saúde desde 2015, que recomenda duas horas de treino de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) por ano a crianças a partir dos 12 anos, em todas as escolas do mundo. Também são ensinadas noções básicas de sinais e sintomas de AVC agudo e de parada cardíaca súbita. Para entender mais sobre o tema, o Jornal da USP no Ar conversou com a professora Naomi Kondo Nakagawa, do Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da FMUSP.

Segundo a especialista, 60% dos casos de AVC e parada cardíaca súbita acontecem no domicílio das pessoas em que as crianças estão presentes. A partir dos 9 anos, elas já têm condições de prestar o primeiro auxílio e tomar determinadas ações diante desse acontecimento, completa. Um treinamento contínuo anual seria a melhor medida, mas a Faculdade de Medicina da USP foca em treinar crianças e professores uma vez por escola, além de fazer com que eles se tornem multiplicadores ao se comprometerem a passar o conhecimento obtido para outras dez pessoas. Dessa forma, uma maior gama de indivíduos é atingida e as instruções são reforçadas no momento de ensinar, explica Naomi.

Projeto da Faculdade de Medicina que ensina crianças e adolescentes a prestarem primeiros socorros em casos de AVC e paradas cardiorrespiratórias. Aulas de primeiros socorros para alunos de ensino médio na Faculdade de Medicina com a professora Naomi Kondo Nakagawa. Fotos: Cecília Bastos/USP Imagem

O projeto teve início em dezembro de 2017, e a escolha das escolas da rede pública parte do interesse que a instituição mostra em envolver o projeto dentro do ambiente escolar. Após uma apresentação feita aos professores sobre AVC, todos seguem para a parte prática, que ensina como reconhecer a parada súbita, chamar ajuda e primeiros procedimentos. Com esse treinamento, que dura cerca de quatro horas, é possível que os presentes realizem o atendimento de emergência, de acordo com sua idade.

Uma das escolas que contaram com a ajuda dos alunos e docentes da Faculdade de Medicina foi a Escola Municipal de Primeiro Grau Josafa Tito Figueiredo, localizada em Guarulhos, onde 25 professores e 50 alunos foram até o laboratório da FMUSP para o treinamento. Em 6 de dezembro, o grupo irá até a escola, a fim de expandir o conhecimento para 500 crianças, mais familiares e funcionários. Na Escola Estadual Antônio Alves Cruz, adolescentes cursando o Ensino Médio também tiveram a oportunidade de serem beneficiados pelo projeto. Naomi conta que uma das maiores missões do Kids Save Lives é promover a interação entre docentes, profissionais, pós-graduandos, graduandos e a sociedade, permitindo o compartilhamento de conhecimento multidisciplinar sobre as situações de emergência na comunidade.

  • 201
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados