Economia deve priorizar riqueza produtiva para o crescimento

Adotado desde os anos 1990, modelo que valoriza a riqueza financeira não traz avanço econômico sustentável

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Leda Maria Paulani, contribuiu para a edição de número 89 da revista Estudos Avançados, do Instituto de Estudos Avançados, com o artigo Não há saída sem a reversão da financeirização. A publicação tem como tema saídas para a crise econômica do País.

Painel de cotações da Bolsa de Valores de São Paulo – Foto: Rafael Matsunaga – Flickr via Wikimedia Commons / CC BY 2.0

Em entrevista ao Jornal da USP, a professora explica que o País viveu anos de grande crescimento até a década de 1970, mas caiu em declínio e grave crise nos anos 1980. A financeirização se tornou dominante a partir dos anos 1990 e se fortaleceu ideologicamente nos anos seguintes ao Plano Real. No entanto, ela afirma que esse modelo levou o País a um desempenho econômico medíocre.

Para reversão desse quadro, o passo mais urgente para qualquer mudança é a resolução da crise político-institucional brasileira. A partir disso, ela diz que medidas de prioridade à produtividade terão de enfrentar a manutenção do modelo atual nos discursos de diversos economistas e da grande imprensa.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados