Disfunção erétil e infertilidade não são problemas isolados

Urologista explica que esses biomarcadores refletem a qualidade integral da saúde do homem

  • 54
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

O Relatório do Ministério da Saúde em 2017 apontou que cerca de 35% dos homens entrevistados não buscam atendimento médico e, desses, 48% disseram não fazer isso porque “não precisam”. Também 35% deles afirmam que nunca receberam orientação sobre planejamento familiar. Para entender melhor esse dados, o Jornal da USP no Ar conversou com o professor Jorge Hallack, especialista em Urologia da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e coordenador do Grupo de Estudos em Saúde Masculina do Instituto de Estudos Avançados (IEA ) da USP.

Segundo o professor, no corpo masculino, há dois biomarcadores que refletem na saúde do homem: a disfunção erétil e a infertilidade. Por essa razão, esses dois fatores não podem ser interpretados de forma isolada, já que são o reflexo da qualidade de vida integral do indivíduo.

Estudos mostram que há uma queda crescente da taxa de fertilidade nos homens e Hallack justifica esses índices com interferências externas. O médico compara o sistema reprodutivo masculino ao feminino, porque enquanto os ovários abrigam os óvulos desde o nascimento da mulher, os testículos produzem milhares de espermatozoides a cada dia, que sofrem com fatores externos, como os agrotóxicos nos alimentos, a poluição das grandes cidades e o consumo de drogas.

Na América Latina, de acordo com Hallack, o homem só procura tratamento quando a doença já está em um estado avançado e muitas vezes só acontece quando algum ente o incentiva a fazê-lo. O médico alega a necessidade de mudança na mentalidade dos homens quanto ao cuidado da saúde e isso deve começar com os mais jovens para que influenciem as futuras gerações.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Ouça, no link acima, a íntegra do programa.

  • 54
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados