Aparelhos remotos contribuem para análises de movimentos em treinos

Informações obtidas por sensores presos em raquetes de tênis colaboram para análises de velocidade, movimentação e batidas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna Ciência e Esporte desta semana, o professor Paulo Roberto Santiago fala sobre os dispositivos baseados em sistemas inerciais que prometem realizar diversas análises de golpes, especialmente no tênis de campo. “Esses dispositivos eletrônicos são usados no cabo da raquete e entre suas funcionalidades estão o acelerômetro, giroscópio e magnetômetro.”

O professor conta que, por exemplo, por meio dos dados de aceleração, é possível identificar o tipo do golpe, a velocidade da batida e alguns padrões de movimento realizados com a raquete. “Com o auxílio da tecnologia, no final, o atleta tem o aparelho como se fosse um técnico que registrou todos os seus gestos que depois podem ser analisados e tratados em gráficos.”

Esses dispositivos, em geral, ficam conectados remotamente em celulares ou até mesmo nos tablets. Segundo Santiago, “isso é interessante, pois é uma tecnologia que fica presa na raquete e pode ser levada para qualquer lugar”.

Ouça acima na íntegra a coluna Ciência e Esporte.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados