Máquinas de guerra tornam a morte trivial

Colunista expõe o círculo vicioso que existe entre o desenvolvimento tecnológico e a indústria de guerra

“Guerra e tecnologia sempre andaram muito juntas”, diz Luli Radfahrer. Nesta semana, o colunista reflete sobre a íntima relação que existe entre os avanços tecnológicos, tão celebrados pela sociedade, e o desenvolvimento de máquinas de guerra, capazes de causar destruição em massa.

É de conhecimento da sociedade que a indústria tecnológica recebe grandes investimentos de fabricantes de equipamento militar. Como resultado, a existência de guerras no mundo torna-se um motor para o progresso tecnológico. “Todo desenvolvimento precisa de dinheiro. E, se dinheiro vem da indústria de guerra, acaba-se por estimular a geração de novas guerras, novos investimentos”, explica Radfahrer.

Saiba mais no áudio da coluna “Datacracia”.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.