África volta à mídia com Mandela e sem Mugabe

Centenário do sul-africano Nelson Mandela e a saída de cena de Mugabe, no Zimbábue, tiram a África do ostracismo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna desta semana, o professor Pedro Dallari fala sobre dois eventos que ocorreram há alguns dias na região sul da África. Uma situação atípica para a mídia, que ofereceu espaço tanto para o centenário do sul-africano Nelson Mandela como para a eleição presidencial do Zimbábue, a primeira em quase 40 anos sem Robert Mugabe, que está com 94 anos. Lembra Dallari que a atenção dada pela mídia ao centenário de Mandela é muitíssimo correta, uma vez que ele esteve preso por 25 anos, sendo libertado em 1990. Em 1994, Mandela se sagrou presidente da África do Sul e comandou o país até 1999, promovendo uma luta intensa para a queda do apartheid, o regime de segregação dos brancos contra os negros.

Já quanto à eleição do Zimbábue, ex-Rodésia do Sul e ex-Rodésia, foi a primeira no país sem a presença de Mugabe, que, apesar de ditador por 37 anos, liderou a luta dos negros de seu país, que experimentou a mesma segregação branca contra os negros e acabou se tornando, também ele, um ditador. O pleito foi vencido pelo vice-presidente Emmerson Mnangagwa, o que foi considerado um sinal positivo para a região.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Globalização e Cidadania.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados