Ex-alunos da USP seguem alternativas às carreiras tradicionais

Esta série especial apresenta ex-alunos da USP que escolheram caminhos menos conhecidos em suas carreiras, sem sair, porém, das premissas que norteiam suas respectivas profissões. Conheça um pouco destas outras possibilidades nas reportagens a seguir

Por - Editorias: Comunidade USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

portal20160314_1.

Guia de turismo de luxo mostra as múltiplas faces de São Paulo

Na vanguarda do chamado turismo vivencial, formada em Letras é especialista em São Paulo e atende clientes como guia pessoal do mundo inteiro em seis idiomas.

A habilitação no curso de Letras frequentemente capacita os profissionais formados nessa área para trabalhar em sala de aula, como revisor ou tradutor. Não foi o caminho trilhado por Flavia Liz Di Paolo, ex-aluna de literatura alemã da USP, que há dez anos viu no segmento de turismo de luxo uma oportunidade profissional.  Leia mais aqui

 

Fora da academia, cientista social também busca entender a realidade da população

O olhar crítico do cientista social não se volta apenas para o mundo das pesquisas acadêmicas nem se restringe à sala de aula

Avaliar o funcionamento da sociedade pode ser um instrumento poderoso para empresas que buscam entender seu público-alvo. Trabalhar nessa área foi a escolha da ex-aluna do curso de Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, Mariel Deak. Hoje gestora da empresa Plano CDE, ela desenvolve projetos usando a inteligência de mercado para compreender as realidades das classes médias e baixas da população. Leia mais aqui

portal20160314_2

portal20160314_3

Dentista hospitalar melhora assistência ao paciente com câncer

Profissional previne e trata complicações que se manifestam na boca como consequência da doença ou do próprio tratamento

Diariamente, Marcos Curi passa pelos quartos do Hospital Santa Catarina, em São Paulo, onde estão internados pacientes graves, muitos deles em decorrência do câncer. “Olá, eu sou dentista”. A frase causa estranhamento, mas ele logo esclarece: está lá para prevenir infecções diversas, que aparecem em especial quando a resistência da pessoa está baixa – e a porta de entrada de muitas delas é justamente a boca. Leia mais aqui

 

Veterinário fisioterapeuta reabilita saúde de animais de estimação

Tratamento consegue recuperar maior parte dos problemas de saúde que atingem os animais e, em alguns casos, pode até evitar a cirurgia

Entre os anos de 2004 e 2008, enquanto cuidava de sua formação acadêmica, o veterinário Ricardo Stanichi Lopes já tinha em mente um modelo de negócio mais ou menos estruturado. Formado e pós-graduado pela USP e pela Universidade de Tennessee, nos Estados Unidos, atualmente ele é dono de uma rede de clínicas de reabilitação veterinária em todo o Brasil, que começou expandir suas atividades também para o exterior. Leia mais aqui

portal20160314_4

portal20160314_5

O lugar da história – e de uma historiadora – no museu

Museologia abre inúmeros caminhos para profissionais de diferentes perfis

Trabalhar com museologia há alguns anos não era um caminho fácil para os historiadores. Não havia muitas especializações e fazer mestrado nesta área ainda era um sonho distante para aqueles que desejavam ser museólogos.

Mesmo com todas essas dificuldades, Beatriz Calvalcanti, ex-aluna do curso de história da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, não desistiu do desejo de atuar com o patrimônio histórico do país. Hoje, a historiadora é diretora do Museu da Cidade de São Paulo, que abrange uma rede de casas históricas formada por 12 exemplares arquitetônicos.  Leia mais aqui

.

Textos: Ivanir Ferreira, Amanda Oliveira e Aline Naoe
Fotos: Cecília Bastos, Aline Naoe, Divulgação

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail