Gravidez tardia é um fenômeno dos nossos tempos

Por outro lado, mulheres que engravidam em idade avançada tendem a ter mais problemas, diz Alexandre Faisal

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O nascimento da menina Ana Letícia, no dia 10 de abril, em Belo Horizonte, chamou a atenção para o Dia do Obstetra, comemorado no dia 12 do mesmo mês, sobretudo porque a mãe, uma senhora de 64 anos, passou por um processo de fertilização assistida. Para além de qualquer outra consideração, o nascimento da garotinha mineira leva a uma reflexão sobre um tema atual e pertinente: o adiamento da maternidade. Hoje em dia, segundo o médico ginecologista Alexandre Faisal, são cada vez mais comuns gestações envolvendo mulheres acima dos 40 ou 45 anos de idade, e até após os 50 anos.

De acordo com ele, tais dados apontam na direção de um fenômeno mundial, que também se repete no Brasil, que é o declínio da taxa de fecundidade. Uma famosa revista na área da obstetrícia mostra que os riscos de uma gravidez aumentam com a idade, o que significa dizer que grávidas com mais de 40 anos, quando comparadas a grávidas de menor idade, apresentam mais complicações como decorrência de uma gestação tardia. Faisal diz, no entanto, que não é só a idade que contribui para essas complicações, mas também variáveis como obesidade e tabagismo. Acompanhe, no link acima, a íntegra da coluna Saúde Feminina. 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados