Especialista da USP diz que diretrizes da educação básica não traz benefícios

Análise de professora da FFLCRP mostra que Base Nacional Comum Curricular não traz benefícios à educação infantil e fundamental

Por - Editorias: Atualidades - URL Curta: jornal.usp.br/?p=140283
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Base Nacional Comum Curricular é inédita na história do Brasil e vai determinar os objetivos de aprendizagem para todos os anos do ensino infantil e fundamental. O documento foi aprovado pelo Conselho Nacional de Educação em dezembro de 2017.

As escolas públicas e privadas têm até o início de 2020 para se adaptarem. Mas em 2019 o Ministério da Educação (MEC) vai avaliar os alunos de acordo com a Base Nacional Comum Curricular.

A professora Bianca Cristina Corrêa do Departamento de Educação, Informação e Comunicação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras  de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, diz que o documento não atende às demandas da sociedade brasileira por ensino de qualidade, mas atende às necessidades de editoras de livros didáticos, entre outras críticas.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão. É veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Ferraz Junior.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados