A tontura é uma ilusão do movimento, afirma otorrinolaringologista

São várias as razões que levam as pessoas a sentirem tonturas, mas nem todas estão relacionadas ao labirinto

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Ouça a entrevista da repórter Simone Lemos com o professor Ítalo Medeiros, chefe do Ambulatório de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

logo_radiousp790px

Montagem sobre foto Visualhunt e Marcos Santos / USP Imagens
Montagem sobre foto Visualhunt e Marcos Santos / USP Imagens

O termo labirintite é utilizado de forma equivocada para designar todas as doenças do labirinto. Ela é uma enfermidade de rara ocorrência e é caracterizada por uma infecção ou inflamação no labirinto. O estímulo de movimento pode causar tonturas e a esse fenômeno o termo  comumente usado é cinetose, que é qualquer distúrbio causado por um movimento não habitual do corpo, como o enjoo que experimenta quem viaja de navio ou avião, por exemplo.

Nossas estruturas de equilíbrio estão adequadas às nossas funcionalidades. Quando o nosso corpo tem alguma alteração do labirinto, os sintomas aparecem. É a sensação de que existe um movimento, sem que haja um movimento real. Pode ser como uma instabilidade, desequilíbrio, sensação de queda, desvio da marcha ou uma flutuação. Quando a tontura possui características rotatórias, denomina-se vertigem.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados