Redes sociais precisam de legislação para tornar ambiente virtual mais seguro

De acordo com Luli Radfahrer, indústrias como as de automobilismo e de remédios mostram como uma legislação própria tornou seus produtos mais seguros e confiáveis

 05/03/2021 - Publicado há 11 meses

Luli Radfahrer fala em sua coluna de hoje (5) sobre as redes sociais e a sociedade civil, uma aproximação que pode ter dado errado. Mas, se deu errado, qual foi o problema? “O problema não está nas redes sociais, mas está na concentração em um oligopólio. Cinco empresas controlam basicamente tudo o que a gente conhece como internet de consumo”, comenta o colunista. Essas cinco empresas são: Alphabet Inc., Apple, Facebook, Amazon e Microsoft.

O problema desse controle tem relação com a grandiosidade de seus produtos, pois são essas empresas que determinam quais regras devem ser seguidas. Nesse sentido, Radfahrer cita que isso traz dois grandes problemas: a venda de dados pessoais e a dinâmica viciante dos jogos, pensando em uma mecânica de máquina de cassino, em que há a necessidade de se falar alguma coisa e que pode levar a um discurso extremo.

A saída para escapar desses problemas passa por uma maior legislação e o colunista cita várias indústrias, tais como a automobilística e a de remédios, que eram desreguladas em seu início, mas que, ao longo do tempo, receberam uma legislação própria, tornando os produtos mais seguros e confiáveis. A maior segurança vai de encontro com a questão de ter maiores responsabilidades sobre a qualidade do que está sendo feito. As redes sociais, nesse caso, precisam ter mais responsabilidades sobre notícias falsas e etc.


Datacracia
A coluna Datacracia, com o professor Luli Radfahrer, vai ao ar toda sexta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.