“Manhã com Bach” apresenta a primeira das seis Sonatas em Trio de Bach

Obra é uma experimentação do compositor alemão, que faz com apenas um órgão as partes dos três instrumentos tradicionalmente utilizados nessa forma musical

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Muito populares na Europa do século 18, as sonatas em trio são uma forma musical em que se usam três instrumentos, normalmente dois violinos e o baixo contínuo – ou quatro, se se levar em conta que o baixo contínuo é formado por dois instrumentos, como o cravo e o alaúde.

Uma das inovações que Bach introduziu nessa forma musical foi reunir as partes dos três instrumentos num só, o órgão. Nas sonatas em trio para órgão de Bach, a mão direita, a mão esquerda e os pedais fazem a função dos três instrumentos tradicionalmente utilizados.

Por volta de 1730, em Leipzig, Bach compôs seis sonatas em trio, que no Bach Werke Verzeichnis (BWV), o catálogo das obras de Bach, recebem os números de 525 a 530.

A edição de “Manhã com Bach” dos dias 6 e 7 de agosto de 2016 apresentou a primeira dessas seis composições, a Sonata em Trio em Mi Bemol (BWV 525). O programa mostrou ainda o Prelúdio e Fuga Número 13 (BWV 858) do livro I de O Cravo Bem Temperado e a cantata Liebster Jesu, mein Verlangen, “Amado Jesus, meu Desejo” (BWV 32). Ouça a seguir.

Bloco 01

Clique aqui para fazer o downloadlogo_radiousp790px

Bloco 02

Clique aqui para fazer o download logo_radiousp790px

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados