Colunista analisa protestos e crises políticas no Chile e na Bolívia

Os dois países da América Latina apresentam semelhança em seus conflitos, diz José Álvaro Moisés

Bolívia e Chile vêm passando por um período conturbado. Uma similaridade negativa entre os dois países é o fato de as manifestações contarem com mortes após os confrontos entre as forças policiais e de repressão a manifestantes. A explicação para os protestos e a crise social, que ganhou contorno de crise política grave, pode ser explicada. Segundo o professor José Álvaro Moisés, a principal diferença no estopim da crise foi, no caso do Chile, a desigualdade entre os pobres e os mais ricos e um sistema de Previdência considerado injusto, além da população se manifestar contra a Constituição do tempo de Pinochet. Já na Bolívia o protesto foi contra a autoimposição de Evo Morales como presidente para um quarto mandato.

Apesar dessas diferenças, os dois países apresentaram bons resultados econômicos desde o início do século 21, com importante repercussão nos quadros econômico e social, diz o professor José Álvaro Moisés.

Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da coluna A Qualidade da Democracia.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.