Brasil Latino: Alexandre Barbosa e os refugiados

América Latina vive onda de deslocamentos forçados; Memorial oferece bolsas de pesquisa sobre a questão do refúgio

Jornal da USP
Jornal da USP
Brasil Latino: Alexandre Barbosa e os refugiados
/

Os números impressionam. No Dia Mundial do Refugiado (25 de junho), a Acnur, órgão de assistência da ONU para refugiados, divulgou um dado alarmante: o mundo possui 82,4 milhões de homens, mulheres e crianças que tiveram seus mundos virados de cabeça para baixo devido a guerras, violência, perseguições e catástrofes. Somente na América Latina são 8 milhões de pessoas nessa condição. “Enquanto nós estivemos durante quase todo o ano passado seguros em nossas casas, estas pessoas tiveram que fugir de seus lares para permanecerem vivas”, diz um trecho do comunicado do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados.

O Brasil sempre recebeu imigrantes, o que faz parte da sua formação como nação. Agora, vive o desafio de acolher os refugiados. A onda de haitianos ocorreu no início dos anos 2010, logo após o terremoto que praticamente devastou aquele pequeno país caribenho. No final da década passada foi a vez dos venezuelanos. A maioria deles foi para a vizinha Colômbia e outros países de língua espanhola. Cerca de 40 mil vieram para o Brasil.

Segundo o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), ao final de 2020 havia 57.099 pessoas refugiadas reconhecidas pelo Brasil. Somente em São Paulo, existem 7.777 alunos de 97 nacionalidades diferentes matriculados na rede municipal de ensino, um crescimento de 5,8% em relação ao ano passado. A maioria é formada por haitianos, bolivianos e venezuelanos.

Essas histórias que estão sendo construídas merecem ser contadas. Para falar desse tema que se tornou uma questão importante para a América Latina, o Brasil Latino traz uma entrevista com Alexandre Barbosa, gerente de assuntos acadêmicos do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina da Fundação Memorial da América Latina e editor da revista Nossa América.

A cátedra Unesco/UNITWIN de Integração da América Latina, que conta com a participação de USP, Unicamp e Unesp e da Fundação Memorial da América Latina, está com inscrições abertas até 8 de julho para a concessão de bolsas de pesquisa voltadas ao tema do refúgio e seus desdobramentos no contexto brasileiro atual. As bolsas são para pesquisas nas áreas de historiografia, audiovisual, direitos humanos e comunicação. As inscrições devem ser feitas entre os dias 9 de junho e 8 de julho, pelo e-mail catedra@memorial.org.br.


Brasil Latino

O Brasil Latino vai ao ar toda segunda-feira, às 17h, pela Rádio USP FM 93,7Mhz (São Paulo) e Rádio USP FM 107,9 (Ribeirão Preto). As edições do programa estão disponibilizadas nos podcasts do Jornal da USP (jornal.usp.br) e nos agregadores de áudio como Spotify, iTunes e Deezer.

. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.